Para jovens

 

COACHING PARA JOVENS  

“A coisa mais importante todo dia é, que quando eu acordo, eu vou fazer alguma coisa que eu realmente gosto. Quantas pessoas no mundo podem dizer isto?” (Tiger Woods)

 

Vivemos em um mundo veloz, de mudanças constantes e rápidas. Todos têm pressa, principalmente os jovens. Embora adaptados a esta vida rápida, com muitos afazeres (escola, inglês, esporte etc), os jovens ainda não têm experiência e amadurecimento emocional. Estão sempre querendo chegar a algum lugar rápido.

Muitos são idealistas mas grande parte deles é pragmática e têm objetivos muito concretos que desejam realizar num prazo muito curto. Seria bom, talvez, se não provocasse confusão e as vezes paralisia.

Alguns chegam para orientação vocacional e dizem assim: “Me ajuda a escolher uma coisa que dá dinheiro rápido, que tem de estudar pouco”. Outros ainda acrescentam: “e que tem de trabalhar pouco”. Há alguns que já dizem: “Escolhe aí pra mim alguma coisa que vou ganhar muito dinheiro, porque não gosto de fazer nada mesmo”.

Não estou criticando pois o dinheiro é bom, é um dos motores da sociedade na qual vivemos, paga nossos sonhos, desejos, necessidades e confortos. A prosperidade é um direito. A terra é o paraíso da abundância.

Mas o dinheiro não pode ser o foco da nossa vida. O foco tem de ser a felicidade e plenitude, o nosso desenvolvimento integral, o bem-estar da nossa família e a sustentabilidade humana no mundo. O dinheiro é consequência. Quando o filho de Eike Batista, perguntado sobre o que queria para o futuro diz que se não conseguir aumentar a quantidade de empregos que o pai oferece hoje, que ele quer pelo menos conservar os que já existem, ele foca em promover a garantia de que milhares de pessoas tenham um trabalho e possam garantir as necessidades básicas da sua família. Aí você diz: “mas pra isso ele precisa de dinheiro!” Raciocínio correto! É isto mesmo! Isto atrai o dinheiro em sua direção. E ele vai desfrutar de todo conforto que merece. É a mesma coisa que levou Samuel Klein a transformar uma marcenaria nas Casas Bahia que conhecemos hoje. Ele se propôs a ter a maior indústria de móveis do país pois desejava que todas as pessoas, principalmente as de poder aquisitivo mais baixo, pudessem ter os móveis que quisessem. Esta é a lógica do universo, e precisamos aprender. Isto é o que precisamos ensinar aos jovens sobre o poder do dinheiro e como consegui-lo fazendo o que gostamos.

Já que estão sempre com pressa, querem fazer tudo rápido, o coaching é uma boa metodologia de trabalho com jovens, pelo seu caráter prático e rápido, objetivo e focado. O coaching é focado em decisões e ações, em soluções e resultados.

Veja uma  matéria da revista Você S/A

http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/orientacao-cedo-523677.shtml